Extrato de abacate ajuda a conservar morangos

A substância, rica em antioxidantes, foi usada na formulação de um bioplástico

Pamela Márquez, estudante da Faculdade de Química da Universidade do México (UNAM – www.unam.mx), desenvolveu um bioplástico a partir do extrato da casca do abacate, como alternativa para a conservação de morangos em embalagens plásticas tradicionais. A inovação tem como base a carboximetilcelulose, um composto orgânico derivado da celulose, ao qual se adiciona compostos encontrados na casca do abacate.

Estudos mostram que o bioplástico garante 15 dias de conservação para os morangos, um tempo superior ao previsto pela FAO, braço da ONU (Organização das Nações Unidas) para Alimentação e Agricultura.

Já é sabido que a casca do abacate possui propriedades antioxidantes, bem como características antifúngicas e antibacterianas. “Normalmente comemos a polpa do abacate e o caroço é usado pela indústria de cosméticos para a extração de óleos essenciais. Mas a casca é descartada, o que é um desperdício visto que possui antioxidantes”, explica a estudante.

Segundo ela, ainda são necessários mais estudos para comprovar se as propriedades da casca de abacate também podem ser usadas em outras aplicações, por exemplo, na produção de um bioplástico que substitua o usado atualmente em utensílios de cozinha.

A tutora deste projeto é a doutora em Tecnologia Avançada de Biomateriais do Centro de Pesquisa em Ciência Aplicada e Tecnologia Aplicada Avançada do Instituto Politécnico Nacional (CICATA IPN – www.cicataqro.ipn.mx).

 

 

 

 

Toda a energia do sol

Parece – e é – uma contradição: embora seja um dos países mais ensolarados do mundo, o Brasil ainda engatinha quando… Leia Mais »

No meio do caminho, havia um pé de couve

Do meio da praça brotam pés de alface, de milho, de cebolinha e hortelã, e berinjelas mais bonitas do que aquelas que se… Leia Mais »

Mundo mais verde

Os recursos renováveis, a chamada energia verde, terá seu potencial triplicado até 2020. Segundo o relatório do Programa… Leia Mais »