Polinização para a sobrevivência


Talvez você não saiba, mas a polinização é um serviço que alguns seres da natureza nos oferecem para a nossa sobrevivência.  Abelhas, vespas, borboletas, pássaros, morcegos, plantas e até mesmo o vento são fundamentais para a polinização e dispersão de sementes e produção de alimentos.

Estima-se que cerca de 70% das espécies vegetais cultivadas no mundo sejam polinizadas por alguma espécie de abelha, 19% por moscas, 6,5% por morcegos, 5% por vespas, 5% por besouros, 4% por pássaros e 4% por borboletas e mariposas. Além disso, mais de ¾ das espécies utilizadas pelo homem na produção de alimentos dependem da polinização para uma produção de qualidade e quantidade. Esses dados nos mostram o quanto o processo de polinização é importante e merece atenção.

Polinização

A polinização é o processo de transferência de células reprodutivas masculinas que estão localizados nas “anteras” de uma flor, para o receptor feminino de outra flor. Para que ela ocorra, entram em ação os polinizadores, que são animais responsáveis por esse transporte. Em alguns casos, também o vento e a chuva cumprem este papel.

Onde não há os polinizadores, a segurança alimentar está comprometida. Por isso, é de fundamental importância e urgência identificar as melhores práticas que diminuem os impactos negativos causados pelo homem sobre os polinizadores. Pensando nisso, pesquisadores recomendam ações a serem implantadas principalmente na agricultura que contribuem para a proteção e a diversidade de polinizadores.

  • Conserve áreas de floresta, mantendo a vegetação nativa próxima à área de cultivo;
  • Se possível, insira colmeias de abelhas próximas às áreas agrícolas;
  • Mantenha a matéria orgânica presente no solo, há abelhas que fazem seus ninhos nesses locais;
  • Não utilize defensivos, principalmente pela manhã – horário em que os polinizadores “visitam” às plantações;
  • Reduza, ou melhor, elimine o uso de agrotóxicos.

 

A importância das abelhas na polinização

As abelhas formam um grupo bastante numeroso, mais de 20 mil espécies já foram em todo o mundo. No Brasil, estima-se a presença de mais de três mil espécies diferentes de abelhas, mas apenas 400 foram catalogadas.

O que torna as abelhas importantes no processo de polinização é que cerca de 90% das flores presentes nas florestas do mundo, dependem delas para se reproduzirem. São verdadeiras “cupidas” que transportam o pólen (fonte de proteína) entre as plantas garantindo a variação genética e o equilíbrio dos ecossistemas.

Infelizmente o que a comunidade científica vem observando é um declínio dos polinizadores, e não há uma única razão. O que se sabe é que o homem é um dos principais responsáveis. Desmatamentos, queimadas, agrotóxicos, mudanças climáticas são alguns dos principais fatores que aceleram o processo de extermínio dos polinizadores. E, sem eles, tanto a renovação das florestas, como a produção mundial de alimentos ficariam comprometidas.  O equilíbrio dos ecossistemas e da biodiversidade sofreria um sério impacto, o que afetaria diretamente o ser humano de diversas maneiras.

O físico alemão Albert Einstein imaginou como seria o mundo sem as abelhas:

 

“Se as abelhas desaparecerem da face da Terra, a humanidade terá apenas mais quatro anos de existência. Sem abelhas não há polinização, não há reprodução da flora, sem flora não há animais, sem animais, não haverá raça humana.”

 

 

 

 

 

Fonte: Ministério do Meio Ambiente; Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura; Departamento de Zootecnia da Universidade Federal do Ceará; Ministério da Agricultura e Sem abelha sem alimento. 

 


Polinização para a sobrevivência

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>