Manejo florestal e a conservação da biodiversidade


Será que é possível utilizar recursos da floresta e manter a sua biodiversidade conservada ao mesmo tempo?

Sim! É possível utilizar madeiras, frutos, resinas, raízes, cascas, cipós e outras matérias-primas da natureza e contribuir para a manutenção das florestas e suas diferentes formas de vida, desde que seja de forma ordenada e ambientalmente responsável.

A questão central é que a conservação da biodiversidade de nossas florestas deve ir muito além da diminuição dos desmatamentos, ela pode ser muito rentável em atividades manejadas por comunidades que vivem em áreas florestais. Na Amazônia, por exemplo, cooperativas extrativistas já conseguem uma valorização superior a 300% na renda vinda de produtos como a castanha.

Manejo Florestal Sustentável é um conjunto de práticas para administrar a floresta para obtenção de benefícios econômicos, sociais e ambientais, respeitando-se os mecanismos dos ecossistemas e seu poder de regeneração.  Em geral os procedimentos adotados no manejo florestal são estabelecidos em um plano de manejo.

A retirada de produtos da floresta só é considerada dentro da lei se estiver sob um regime sustentável, ou seja, se houver um Plano de Manejo Florestal Sustentável. E assim, receber vistorias técnicas de órgãos ambientais, a fim de acompanhar e controlar as atividades florestais.  

Principais objetivos dos planos de manejo florestais

  • Aumento da rentabilidade e da produção, principalmente em resultado a redução do desperdício de madeira;
  • Continuidade da produção;
  • Garantia de maior segurança de trabalho, visto que as técnicas de manejo diminuem os riscos de acidentes;
  • Cumprimento da lei – as empresas que não realizam o manejo florestal estão sujeitas a diversas penalidades;
  • Conservação das florestas, da biodiversidade e dos serviços ambientais, visto que as florestas bem manejadas oferecem inúmeros benefícios para a sociedade – equilíbrio do clima, produção e qualidade da água, manutenção do ciclo de chuvas, produção de oxigênio entre outros.

Produto “verde”

Produtos da floresta podem ser enquadrados em diferentes tipos de “selos verdes”, receber diversos certificados e, assim, ampliar as oportunidades de mercado e o consequente aumento na rentabilidade, bem como a garantia de conservação florestal e da biodiversidade.

Modelos de certificações de produtos da floresta

  • Comércio Justo – modalidade que busca o estabelecimento de preços justos, além de padrões socioambientais equilibrados nas cadeias produtivas, promovendo o encontro de produtores ecologicamente responsáveis com consumidores éticos.
  • Produtos Orgânicos – para receber esse título, o produto deve ser cultivado em um ambiente que considere as esferas social, ambiental e econômica.  Além disso, esse modelo de agricultura não utiliza agrotóxico e outros produtos químicos e transgênicos em qualquer fase da produção.
  • FSC – A certificadora Forest Stewardship Coucil atesta o bom manejo das florestas levando em conta os benefícios e direitos sociais, ambientais e econômicos. A SIG, por exemplo, utiliza matérias-primas de origem renováveis em seu processo de fabricação de embalagens e, por isso, recebe essa certificação em todos os seus produtos e fábricas.

 

 

Programas consistentes de manejo florestal têm sido implementados em vários lugares do mundo, bem como iniciativas que aliam a produção rural e a conservação das florestas. Essas ações são promovidas por organizações da sociedade civil, governamentais, comunidades que vivem e dependem da floresta e empresas que buscam práticas para um desenvolvimento sustentável. No Brasil cerca de cinco milhões de pessoas vivem “na” ou “da” floresta. E temos bons exemplos de atividades agrícolas que respeitam o meio ambiente.

Extrativismo florestal

Na Amazônia, a extração de produtos não madeireiros (óleos, resinas, ervas, frutos e borracha) contribui economicamente para aproximadamente 400 mil famílias. Os recursos florestais, quando conscientemente utilizados, trazem benefícios econômicos às populações locais, fixam o homem no campo e melhoram sua qualidade de vida.

 

Exploração madeireira

 

Ainda na região amazônica, encontramos a maior produção de madeira tropical do mundo, totalizando o uso de 350 espécies de árvores para fins comerciais. A exploração ambiente e socialmente responsável gera o dobro de empregos e paga salários quatro vezes maiores.

 

Sistema Agroflorestal

É um modelo que reúne as culturas agrícolas com as culturas florestais. Na prática é uma forma de se produzir alimentos ao mesmo tempo em que se recupera a natureza.

 

 

Uso do Solo

As propriedades rurais localizadas em áreas “produtoras” de água têm grande importância para a produção e proteção desse importante recurso natural. A capacidade de absorção de água das chuvas pelo solo depende de um manejo adequado. No interior paulista, na região do Sistema Cantareira acontece um projeto do IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas onde o objetivo é ensinar e implantar em pequenas propriedades rurais o Manejo de Pastagem Ecológica que beneficia tanto a infiltração de água no solo como o aumento na produção animal. A ideia é fazer uma rotação dos animais no pasto, que passa por períodos de descanso e recupera sua função de absorver a água da chuva até os lençóis freáticos. Ao mesmo tempo, o gado se beneficia com melhor oferta de forrageira.

 

 

Fontes: Ministério do Meio Ambiente, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, Ministério da Agricultura e IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas.

 


Manejo florestal e a conservação da biodiversidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>