Uso racional da água – cada vez mais possível


E se a solução para a crise hídrica do Brasil estivesse no esgoto? Estudiosos afirmam que a água de reuso pode ser a nossa única alternativa para a questão do abastecimento.

 

Se pensarmos que apenas 2,5% da água disponível no mundo é doce e 0,007% desta parcela estão em locais acessíveis (segundo o World Resources Institute), o desafio de desenvolver técnicas de reaproveitamento de água e utilizá-la de forma consciente para garantir que não falte, é uma importante alternativa para resolver a  crise hídrica no País.

 

O reaproveitamento da água não é assunto novo, ele vem sendo estudado e testado há alguns anos e atualmente vem ganhando popularidade pelo momento crítico em que vivemos. O exemplo mais difundido é a utilização da água da chuva nos afazeres domésticos. Além de ser ecologicamente responsável, isso contribui com a economia do consumo e minimiza a quantidade de água que vai para os sistemas públicos de coleta, evitando enchentes nos períodos de chuvas.

 

Outro exemplo é o tratamento da chamada “água cinza”, dos chuveiros e pias dos banheiros.  Essa água, devidamente tratada, pode ser utilizada para diversos fins como: lavagem de garagem, descargas, irrigação de plantas, ampliando a escala podemos utilizá-la para a geração de energia e refrigeração de equipamentos.

 

A maior vantagem de utilizar a água de reuso é que assim “poupamos” e garantimos maior quantidade de água potável para o abastecimento humano. Além de reduzir o volume de esgoto despejado nos rios e a economia com os custos no consumo de água.

 

As indústrias são grandes aliadas para a questão hídrica

 

A água é um importante componente nos processos industriais. Para se ter uma ideia, as indústrias são o segundo setor econômico que mais utiliza água no Brasil, elas são responsáveis por utilizarem 20% do recurso disponível,  perdendo apenas para a agricultura que consome 72%.
Diante da incerteza em torno da capacidade de abastecimento, as empresas estão cada vez mais preocupadas fazer o reuso da água.

 

A Agência Nacional de Águas – ANA estima que esse setor demande 13 bilhões de metros cúbicos de água todo ano, o que corresponde a cerca de 5,2 milhões de piscinas olímpicas . Nesse sentido a reutilização da água pelos empreendimentos beneficia a sua própria economia, o meio ambiente e a população.

 

Ainda que o País possua uma das maiores reservas de água doce do mundo, em torno de 12% do total disponível, a crise hídrica vivida atualmente – principalmente pela região Sudeste – nos mostra a vulnerabilidade na questão. E a solução está nas “mãos” de todos – empresas, agricultores e população.

Algumas cidades já reusam água

Pelo mundo afora não faltam exemplos de cidades que já reutilizam a água. É o caso de Las Vegas, que mesmo sendo construída no meio do deserto não enfrenta problemas com o abastecimento. Para isso, a cidade adotou uma série de medidas – hotéis diminuíram o volume de água nas descargas de seis litros (modelo tradicional) para 1,28 litros de água; outra ação ecologicamente responsável na cidade é a utilização da água de reuso para irrigar os jardins, campos e gramados da cidade.

 

No Brasil temos boas iniciativas. Na cidade de Búzios, 5% do esgoto passam por uma filtragem especial que resulta em água que irriga um campo de golfe. Em Curitiba, a cidade conta com uma política que cria medidas que induzem a conservação, o uso racional e o uso de fontes alternativas para captação de águas em novas edificações.

 

Mas afinal, como funciona o processo de tratamento do esgoto?

 

Segundo a Política Nacional de Recursos Hídricos a água de reuso deve seguir parâmetros de qualidade de acordo com as formas de se utilizá-la. O monitoramento é realizado por meio de análises microbiológicas e físico-químicas.

 

Para que possamos utilizar a água do esgoto em atividades agrícolas, urbanas, industriais e florestais a primeira etapa é colocá-la em um filtro que retire as partes sólidas, na sequencia a água vai para um tanque de filtragem biológica, ou seja, as bactérias atuarão nessa etapa comendo o resto da sujeira do esgoto, que posteriormente serão retiradas por de um processo de aeração.

 

Passadas essas etapas, a água que tinha uma coloração escura sairá transparente e sem cheiro em um tanque. Lembrando que ainda assim ela não se torna potável!

A grande vantagem desse processo é fazer com que as empresas poupem a água que é própria para o consumo humano.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fontes: Organização das Nações Unidas – ONU, Ministério do Meio Ambiente, ANA – Agência Nacional de Águas, Embrapa, Sabesp, World Resources Institute, Companhia Riograndense de Saneamento e CEBDS.


Uso racional da água – cada vez mais possível

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>