Como reduzir a pegada ambiental dos nossos deslocamentos de todo dia


Os estudos que relacionam saúde e qualidade do ar não deixam dúvidas: a necessidade de nos deslocarmos, seja de carro, ônibus ou avião, é o principal fator de emissão de poluentes na atmosfera. Mas será que é possível amenizar o impacto de nosso ir e vir no meio ambiente?

Uma pessoa que utiliza seu carro – vamos considerar um modelo popular, movido a gasolina – para ir de casa ao trabalho terá emitido, ao longo de um ano, cerca de 1 tonelada de gás carbônico (CO2). Além de contribuir para a piora da qualidade do ar localmente, esse gás é um dos principais agravantes do efeito estufa. Se, em vez de utilizar o carro todos os dias, a pessoa optar pelo transporte coletivo, poderá contribuir com uma redução significativa das emissões. A prova disso é um estudo recente da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) que mostra que, se a cidade de São Paulo não tivesse a rede metroviária, a poluição do ar aumentaria em 30% – ou seja, os mais de 4 milhões de pessoas que utilizam o metrô diariamente para se deslocar contribuem, embora muitos não se deem conta disso, para a redução da poluição na cidade.

Se a opção for andar a pé ou de bicicleta, a contribuição para a poluição do ar das cidades cai a praticamente zero. Nas grandes cidades nem sempre isso é viável, em razão das grandes distâncias. Mas grandes centros como São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre são exemplos de cidades que estão ampliando os programas de incentivo ao uso da bicicleta.

Ainda para quem não consegue deixar o carro na garagem há boas notícias. Utilizar o combustível renovável – no caso do Brasil, o etanol – em vez do combustível fóssil permite uma redução na emissão de poluentes da ordem de 25%, no caso do monóxido de carbono, e de 35%, na emissão de óxidos de nitrogênio. A oficina mecânica também pode dar a sua colaboração com o meio ambiente: regular bem os motores do seu carro, seja a etanol ou a gasolina, também pode reduzir em até 20% a emissão de poluentes.

Nas viagens de avião, a emissão de gases que causam o efeito estufa e a poluição do ar também é significativa – grande usuário de combustíveis fósseis, o setor de aviação responde por cerca de 2% das emissões de CO2 no mundo todo. Para se ter uma ideia, cada viagem de ida e volta da ponte aérea Rio-São Paulo emite em média 35 toneladas de carbono. Não precisa abdicar das preciosas férias, mas será que aquela viagem de negócios realmente precisa ser feita? Hoje as tecnologias de teleconferência já permitem que reuniões sejam realizadas com eficiência – e poupando carbono.

Na prática, pequenos ajustes na rotina podem, sim, ajudar a reduzir a pegada ambiental dos nossos deslocamentos. Isso começa com incluir o meio ambiente na equação, pesquisar sobre as alternativas que se encaixam no seu dia e dar o primeiro passo. A caminhada tem tudo para ser gratificante.


Como reduzir a pegada ambiental dos nossos deslocamentos de todo dia

Um comentário em “Como reduzir a pegada ambiental dos nossos deslocamentos de todo dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>